Privatização de empresas de tecnologia: OAB-PA participou de debate na Alepa

e8a14bb3 979e 4013 a7ba e88621ee8e7cNa última terça-feira (12), o conselheiro seccional Mário Célio representou a Ordem no Pará na Sessão Especial que debateu o risco da privatização de empresas de tecnologia e processamento de dados, como o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e a Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev), realizado pelo deputado Dirceu Ten Caten.

As duas empresas fazem parte do programa de privatização anunciado pelo Governo Federal em agosto deste ano, apesar de serem empresas públicas que dão lucro à União e realizam serviços de excelência, considerados estratégicos para o desenvolvimento do país. O Serpro foi criado em 1964, é hoje a maior empresa pública de TI no mundo, com 10 mil funcionários, processa cerca de 4 mil sistemas e em 2018 teve um lucro de mais de 400 milhões de reais.

Já a Dataprev surgiu para aprimorar o serviço da Previdência Social, com o objetivo de integrar dados. Fornece soluções e aprimoramentos para a Previdência Social, com cerca de 3.400 trabalhadores que administram 720 sistemas informatizados. Atualmente, a estatal processa o pagamento de mais de 35 milhões de benefícios, tendo obtido lucro líquido, em 2018, de R$ 151 milhões. 1e91f6aa a591 405a ada4 f48d089bebfa

No pacote de privatizações do Governo Federal, constam 17 empresas estatais. Além de Serpro, Dataprev e Correios, também fazem parte da lista de estatais a serem privatizadas a Casa da Moeda, a Lotex, a Trensurb (Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A.), a Eletrobras, a Telebras, a Empresa Gestora de Ativos (Emgea), a Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias (ABGF), a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) entre outras. 

 

 

Subseções

 

Publicações

Links Úteis

 

 

      

   

  

 

 

OAB - SEÇÃO PARÁ

Praça Barão do Rio Branco, 93 - Campina
Belém-PA - CEP 66015060
Fone:(0xx91) 4006-8600
Fax: (0xx91) 4006-8603